Categorias

Conheça o vírus VSR, que deixou o filho de Felipe Andreoli na UTI

Conheça o vírus VSR, que deixou o filho de Felipe Andreoli na UTI

O casal de apresentadores Felipe Andreoli e Rafaela Brites viveu, há menos de um mês, momentos de tensão ao ver o filho, Rocco, recém-nascido, internado em uma UTI. O bebê foi vítima de uma bronquiolite causada pela infecção do vírus VSR (Vírus Sincicial Respiratório). A transmissão desse tipo de vírus pode ser muito mais comum e frequente do que as pessoas imaginam, por isso, os papais precisam estar sempre muito atentos a respeito de cuidados e medidas de prevenção.

Sobre a bronquiolite

A bronquiolite é uma infecção que inflama e provoca acúmulo de muco nos bronquíolos (passagens menores de ar do pulmão) e as consequências podem ser internação em UTI durante vários dias ou até a morte. A doença acomete bastante o público infantil e, por apresentar os primeiros sinais de modo simples, os adultos chegam a pensar que é um resfriado ou gripe normal, então há certa demora para descobrir que o caso pode ser sério.

Sintomas

Tudo começa com uma leve infecção respiratória, depois de dois a três dias, a criança passa a ter chiado no peito e tosse. Os outros sintomas são: febre; fadiga; respiração rápida (taquipneia); vômitos; falta de ar e cianose (pele azulada por conta da falta de oxigênio).

Todos esses sintomas costumam variar muito de criança para criança. Ao notar que o seu filho está com dificuldades para mamar ou comer e, além disso, apresenta respiração rápida ou difícil, procure imediatamente atendimento em um hospital.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença causada pelo vírus VSR é feito principalmente por médicos pneumologistas, os profissionais podem solicitar alguns exames, como: Raio X da região torácica; teste de amostra de muco extraído e exame de sangue. Essas formas de análises são importantes para descartar outras doenças, uma vez que a bronquiolite tem sintomas muito parecidos com outras enfermidades.

Os pais também devem estar preparados para responder com clareza as perguntas do médico durante a consulta, as questões são: quando os sintomas começaram? Os sintomas têm sido ocasionais ou frequentes? Qual a intensidade dos sintomas? Você tomou alguma atitude para aliviar os sintomas? Se sim, qual? E adiantou?

Feito o diagnóstico, é preciso iniciar rapidamente o tratamento. As crianças que apresentam bronquiolite em estágio leve, ou seja, sem muitos sintomas e complicações, pode ser tratada em casa com a ingestão de medicamentos receitados somente pelo médico. Agora se as crianças e principalmente os bebês estiverem bem debilitados, o tratamento precisa ser realizado com internação em UTI. Vale ressaltar que existe fatores de risco.

A bronquiolite acomete crianças de até dois anos de idade, só que quanto mais nova for a pessoa, mais riscos a doença pode causar. Isso porque o aparelho respiratório de crianças muito novinhas ainda não está completamente desenvolvido, assim como o sistema imunológico que defende o corpo de doenças. Os bebês prematuros e as crianças menores de um ano estão no grupo de risco para contrair o vírus VSR.

Prevenção

Por tudo isso, as medidas de prevenção são imprescindíveis, afinal, ninguém quem ver o filho (a) doente em um hospital ou mesmo que seja em casa. De acordo com médicos pneumologistas, o vírus VSR circula durante todo ano, mas principalmente durante algumas estações do ano, dependendo do local.

Nas regiões Norte e Nordeste, o período de maior incidência do vírus é de janeiro a maio. Já nas regiões do Sul, Sudeste e Centro-Oeste, a circulação do vírus é maior entre março e julho – período que corresponde às estações de outono e inverno. É importante redobrar as cautelas nessas épocas.

Transmissão do vírus VSR

O vírus VSR é facilmente transmitido pelo ar, pela tosse e espirro de pessoas adultas que estão resfriadas ou gripadas, os casos são muito comuns, uma vez que as crianças vivem em contato com pessoas maiores. Já os recém-nascidos recebem frequentemente a visita de familiares e amigos que podem estar doentes.

Você mamãe ou papai pode pedir, gentilmente, que pessoas com resfriados ou gripes, evitem visitar você e principalmente seu filho. Agora se os próprios familiares de casa, como os pais ou irmãos mais velhos estão doentes, o cuidado deve ser o de evitar tossir e espirrar perto do neném, além disso, lavar muito bem as mãos após os espirros, tosses e principalmente antes de tocar o bebê. O vírus também pode ficar em alguns objetos, por isso, é recomendável lavar as mãos frequentemente.

Vale ressaltar que é imprescindível a visita da criança e principalmente do bebê ao médico regularmente. Se você notar qualquer alteração no modo de comportamento ou que esteja causando desconforto ao seu filho, leve-o imediatamente ao médico.

O diagnóstico rápido pode ser crucial nos casos de bronquiolite e de tantas outras doenças. E, claro, evite sempre a automedicação, não dê remédios ao seu filho recomendados por familiares, amigos ou conhecidos que já tiveram filhos com a doença ou problemas parecidos. A ingestão de medicamentos inadequados pode agravar bastante a bronquiolite e todas as outras doenças. Confie somente naquilo que um médico disser e receitar.

Você também vai gostar de:

Posts Relacionados



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 14 =