Categorias

Planejando a gravidez – Parte 2

Planejando a gravidez – Parte 2

Assim como havíamos falando em nosso primeiro post sobre como planejar a gravidez, finalizaremos com a abordagem de mais sete cuidados importantes para concretizar esse grande passo na vida do casal e da família toda. Afinal, a chegada de um bebê é de grande alegria, mas é preciso ser responsável, pois estamos falando de uma vida nova, e um compromisso à longo prazo.

  1. Você tem uma boa relação com seu companheiro?

Escolher qual é o momento certo para tomar essa importante decisão na vida do casal é fundamental e o mais adequado é que, juntos, vocês pensem em como será o futuro daqui para frente.

Casal sentado na cama com feições entristecidas, dando a ideia de que acabaram de discutir e estão chateados. Destaque maior para a mulher sentada com parte debaixo do corpo sob roupas de cama e braços cruzados. Logo atrás, homem com camiseta azul sentado de lado na cama.Isso porque tanto a mãe como o pai precisam estar totalmente preparados para o desafio que é tornarem-se pais, além de considerarem as grandes transformações que o bebê trará na vida de ambos – vocês estão financeiramente preparados? Você terá direito a licença maternidade? E depois disso, o que será feito?

Se você e o seu companheiro estiverem passando por um momento difícil na relação, o melhor a ser feito é equilibrar a situação antes mesmo de considerar ter um filho. Isso porque a mamãe passará, durante essa fase, por uma grande instabilidade emocional – e o seu principal conforto será o companheiro.

Antes mesmo de tomar a decisão por completo, sente-se para conversar com o seu companheiro para que vocês estabeleçam exatamente o que cada um sente em relação ao planejamento de ter um filho. Pensem em suas expectativas (e disponibilidades) e com certeza não irão se arrepender, mesmo que a decisão seja esperar um pouco mais.

  1. E você, está pronta para mudar seus hábitos alimentares?

Um fator de extrema importância para as mulheres que querem engravidar é: cuidar da alimentação antes mesmo de saber que está gestante. É claro que essa recomendação não é exclusiva para quem quer ser mamãe, porém, quando a qualidade de vida do bebê está em jogo, ela se torna ainda mais importante – e verdadeiramente necessária.

Sendo assim, o primeiro passo dessa mudança é saber que você deverá evitar alguns alimentos durante a gestação: alimentos muito gordurosos, frituras em excesso, refrigerantes, refeições muito temperadas, temperos picantes, sal em excesso e até mesmo alguns bem específicos, como o adoçante, o chocolate e o café (como falamos anteriormente).

Lembre-se de consumir uma dieta diversificada com a presença de três grupos de alimentos em suas refeições principais: energético – arroz, pão, macarrão/ construtores – carne vermelha ou branca, ovos/ reguladores – verduras, legumes e frutas.

Imagem composta por lanches de hambúrgueres, batatas fritas, pedaços de pizza, cachorro quente, frango frito e onion rings fritas com "X" vermelho indicando que é proibido.

Evitar consumir leite e derivados em suas refeições principais, dando preferência ao consumo de sucos e frutas ácidas. Isso porque o consumo de cálcio afeta a absorção do ferro pelo organismo, e a vitamina C facilita a absorção. Espere pelo menos uma hora para ingerir um alimento fonte de cálcio. Prefira alimentos ricos em magnésio (cereais integrais, oleaginosas, folhosos verdes escuros e frutos do mar) para prevenir a pré-eclâmpsia durante o parto.

Não consuma bebidas alcoólicas e evite o consumo de adoçantes a base de sacarina e ciclamato de sódio. Consuma diariamente alimentos ricos em fibras e lembre-se de consumir muita água ao ingeri-las. Evite o jejum por mais de três horas e não pule refeições. Não coma por dois, siga as instruções de um nutricionista para uma alimentação balanceada e adequada.

Mas por que me alimentar assim mesmo antes de engravidar?

Porque o seu corpo já precisa criar um estoque de nutrientes que farão com o que o seu organismo se organize para a chegada do bebê, estando bem preparado para atender às suas necessidades nutricionais. Isso não quer dizer que seu bebê ficará sem os nutrientes necessários, mas essa medida é para proteger a saúde da futura mamãe, já que durante a gravidez o feto terá todos os nutrientes retirados do corpo da mãe, e é quem corre o risco de ficar com deficiências nutricionais. E a mamãe precisa estar bem para cuidar de seu bebê, pois depois do parto a fase e os cuidados são outros.

  1. Cuidado com o sobrepeso (e principalmente com a obesidade)

Mulher utilizando aparelho para medir imc de mulher. Aparelho branco.Se você está pensando em engravidar, tenha a consciência de que é necessário se aproximar o máximo possível da condição saudável do seu peso. Isso porque os estudos comprovam que, mulheres acima do peso, muito magras ou com o IMC – índice de massa corporal – maior de 30 ou menor de 20 têm maiores dificuldades para engravidar.

E lembre-se que, o cuidado com o seu peso também será um passo complementar no que se refere à alimentação e os exercícios para manutenção de uma gestação saudável.

  1. Monte um ‘programa de exercícios’ correto

Não, não estamos falando de atividades físicas pesadas ou de alta resistência. Mas sim, de exercícios que farão com que a sua gravidez se torne muito mais saudável.

Se você está planejando engravidar, o mais recomendado é que já esteja se dedicando à prática de exercícios com antecedência, o que ajuda a melhorar a autoestima, o equilíbrio, o bom humor e é claro, ajuda na própria manutenção do peso (o que já falamos anteriormente).

Mulher deitada sobre bola de pilates cinza. Mulher usando top preto e shorts ,preto.

A recomendação é realizar cerca de 60 minutos de alguma atividade física de média intensidade pelo menos 3x por semana – como musculação, caminhadas, natação ou passeios de bicicleta. Além disso, exercícios de Pilates, Ioga, ou outros voltados à melhora da flexibilidade e alongamento também são ideais durante essa fase.

E se você está acostumada com o sedentarismo já alguns anos, não há o que temer: comece com calma, realize 15, 20 e 30 minutos de exercícios leves, a caminhada é uma boa forma de começar. Além disso, suba escadas, vá ao mercado a pé e mexa-se sempre que der!

  1. Plano de saúde ou não?

    Imagem dividida em duas partes. Na primeira, da esquerda para a direita, há diversas bandeiras de planos de saúde que atendem no Brasil, já na outra metade, há o logo do Sus (Sistemas único de saúde).

Outra questão importantíssima no planejamento da gravidez envolve a cobertura do pré-natal – ela será realizada por meio de algum plano de saúde ou pelo próprio SUS?

Decidir se o seu bebê será cuidado por um médico obstetra particular – e posteriormente, pediatra – é de grande importância para as mamães. Isso porque, neste caso, é necessário verificar como é a cobertura do seu plano de saúde, se há adicionais a serem pagos (ou não) e assim por diante.

Por outro lado, se você for realizar o pré-natal por meio do SUS – Sistema Único de Saúde (e público) pesquise com antecedência como funciona o acompanhamento pré-natal, como é realizado o atendimento na região em que você mora e assim por diante. Todas essas informações podem ser garantidas por meio de uma simples visita ao posto de saúde mais próximo de sua casa.

  1. Hora de fazer uma visita ao dentista

    Mulher sentada em cadeira de dentista com o profissional verificando a saúde de seus dentes. Mulher caucasiana de cabelos loiros com a boca aberta. Dentista caucasiano com máscara no rosto e instrumentos de trabalho em mãos.

Dentista, mas porquê?

Pois é, a verdade é que existem várias doenças bucais que podem afetar o andamento da sua gestação, fazendo até mesmo com que o seu bebê nasça prematuro. Além disso, mudanças hormonais durante esse período podem fazer com que a mamãe desenvolva complicações na área da gengiva, motivo pelo qual o acompanhamento no dentista é fundamental.

  1. Proteja bem a sua saúde (principalmente contra infecções)

Se você está tentando ficar grávida, é necessário tomar cuidados desde esse período para não pegar alguma doença ou infecção que agrave a sua saúde. Isso porque, nas primeiras semanas da gestação (quando você já tem a consciência de que está grávida), os órgãos do seu bebê estão começando a se desenvolver – e por isso, estão ainda mais sujeitos ao aparecimento de problemas.

Mulher sentada em sofá acariciando seu animalzinho de estimação. gato nas cores branco e cinza.

E neste caso, alguns cuidados básicos já podem evitar – e muito – qualquer tipo de infecção ou contaminação. Lave as mãos com bastante frequência (principalmente antes e depois das refeições) e não se meta com a limpeza do xixi/cocô do seu cachorro, gato ou outro animal de estimação. Lembrando que o convívio com animais de estimação pode ser mantido e você passar pelo período da gravidez com saúde ao lado dos bichanos.

Além disso, evite ao máximo comer qualquer tipo de carne crua, especialmente a de peixe. Isso porque algumas delas contam com componentes que não fazem bem à saúde do feto. E assim que começar as tentativas de engravidar, evite também qualquer tipo de medicamento – mesmo os mais simples analgésicos para dor de cabeça, que também podem comprometer a formação do pequeno.

E então, está se sentindo mais preparada? Boa sorte!

Você está preparada para o grande dia? Nós fizemos um guia maternidade bem completinho sobre as etapas que antecedem o nascimento do bebê com dicas sobre enxoval, como montar o quartinho do bebê e até um check-list com todas as coisas que você não pode esquecer de levar à maternidade no dia do parto. Baixe grátis aqui.

Posts Relacionados



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × quatro =