Categorias

Qual a idade para dar chocolate sem prejudicar a saúde do bebê?

Qual a idade para dar chocolate sem prejudicar a saúde do bebê?

Impossível pensar em páscoa sem chocolate ou doces, não é mesmo? A data é repleta de demonstrações de carinho e amor em forma de ovos de chocolate e doces que encantam os olhos e principalmente o paladar. Mas é exatamente neste período do ano que surge uma dúvida crucial na vida dos papais: quando dar chocolate sem prejudicar a saúde do bebê?

De acordo com médicos, existe uma fase certa para acrescentar doces em geral à vida dos pequenos. O cuidado com a escolha e quantidade desses alimentos também é muito importante, uma vez que muitos chocolates e doces são fabricados com alta quantidade de açúcar e podem causar diarreia, alergias, entre outros problemas.

A maioria dos chocolates comercializados em mercados e lojas do mundo todo têm fabricação a partir não só de muito açúcar, mas também de leite, gorduras em geral, entre outros componentes não muito saudáveis. Por essa razão, os médicos e nutricionistas recomendam que os bebês só comecem a ingerir chocolates e doces depois do primeiro ano de idade.

Nos primeiros doze meses de vida, os nenéns ainda não têm o organismo e o tubo digestivo como um todo, totalmente desenvolvidos como os dos adultos. Isso pode fazer com que, ao ingerir um chocolate ou doce, o bebê tenha episódios de diarreias, alergias, gases, dores de barriga, mal-estar e até problemas relacionados à saúde dentária, como cáries, por exemplo.

Mas, então, o que dar como presente aos bebês na páscoa? Vale ressaltar que a gordura é um componente importantíssimo à dieta de adultos e principalmente de crianças, uma vez que os pequenos precisam de uma alimentação muito adequada para poderem se desenvolver bem. A questão é o tipo de gordura escolhida e consumida. Os pais podem dar os chocolates tradicionais fabricados ao leite sem causar danos à saúde do bebê (acima dos doze meses de idade), mas em quantidades mínimas.

Os médicos recomendam apenas um quadradinho que equivale a uma colher de sopa. O melhor chocolate é o de tipo meio amargo, uma vez que ele tem menos açúcar, gordura e, consequentemente, é menos calórico. Além disso, o meio amargo possui componentes antioxidantes, minerais e vitaminas. Apesar de, ser mais saudável e indicado à saúde do bebê, os pais também precisam dar somente um pedacinho aos filhos. Já para crianças acima dos três anos de idade, é possível dar maiores quantidades de cacau, até uns três quadradinhos (o que equivale a três colheres de sopa).

No caso do chocolate branco, pode esquecer. Este é o pior tipo para a saúde do bebê e até dos adultos. Na verdade, o chocolate branco nem cacau possui, somente gordura e uma imensa quantidade de açúcar. Os chocolates com castanhas e outras substâncias de especiarias também não devem ser consumidos por bebês e crianças, porque eles têm uma grande chance de causar alergias e outros desconfortos.

Agora se o seu filho não pode, de maneira nenhuma, consumir chocolates, seja por conta de intolerâncias ou patologias, você deve tentar fazer com que outros alimentos super saudáveis, como frutas sejam atrativos aos pequenos. Outra solução é presentear os bebês ou as crianças com brinquedos que remetam às simbologias da páscoa (coelhos ou cenouras de pelúcia) – uma ótima forma de substituir os doces, afinal, toda criança adora ganhar brinquedos.

Todas essas dicas servem não apenas para o período de páscoa, mas para todos os dias dos bebês. Os médicos e nutricionistas explicam que os chocolates e outras formas de doces acabam causando certo vício na vida de crianças e adultos, isso porque esses alimentos liberam endorfina, uma substância responsável pela sensação de prazer e bem-estar. Se possível, adie bastante a indução de chocolates à dieta das crianças, quanto mais tarde você der, melhor, até porque a criança mais velha vai poder entender mais quando e o quanto de chocolate consumir.

O controle da saúde do bebê e principalmente da ingestão de chocolate também depende muito da dieta dos pais, homens e mulheres que adoram comer chocolate frequentemente acabam induzindo, mesmo que involuntariamente, os filhos a também comerem muito chocolate. O certo é controlar muito bem esse tipo de alimento à dieta de toda a família. Consuma chocolates e doces esporadicamente e em pequenas quantidades.

Se o seu filho tem menos de um ano de idade ou se possui intolerâncias a doces, coma chocolates longe dos pequenos. Deixe para consumir os doces no trabalho, na rua ou quando o bebê ou a criança estiver dormindo. No período de páscoa, também evite que a criança fique vendo outras pessoas comerem ovos de chocolate, afinal, os pequenos podem ficar com vontade de experimentar o doce e, consequentemente, até apresentarem problemas como: dores, vômitos e desconfortos intestinais. Vale lembrar que, caso seu filho apresente sintomas e sinais incomuns após experimentar qualquer chocolate ou doce, ele deve ser consultado imediatamente por um médico.

Você também vai gostar de:

Posts Relacionados



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =