Categorias

Comportamento infantil: Saiba como a tecnologia afeta no stress das crianças.

Comportamento infantil: Saiba como a tecnologia afeta no stress das crianças.

O uso excessivo de smartphones, tablets e gadgets além de formar um comportamento infantil diferente daqueles que tivemos, está estressando nossas crianças

comportamento infantil e a tecnologia

Ter um filho deve ter sido muito difícil antes da Internet e dos smartphones. Entretanto, hoje, papais e mamães devem se preocupar com os efeitos que toda esta nova tecnologia está tendo em seus filhos. Nós nos preocupamos com a segurança online deles, por quanto tempo eles estão passando em frente às telas e se os videogames estão influenciando ou não no comportamento infantil. Vendo por este lado, nós que deveríamos estar estressados, certo?

Um exemplo simples: retirar os gadgets de um adolescente com certeza abala sua vida social e acadêmica, ao mesmo tempo em que possuir tantos meios de interação e comunicação faz com que o “trabalho” de ser mãe ou pai seja sempre em tempo integral.

A tecnologia estressa sim

Mesmo que isso seja verdade, um novo fato apontado por novos estudos também mostrou que o clima atual de tamanha sobrecarga digital não é apenas estressante para os pais; a tecnologia também está tornando as crianças mais ansiosas, fazendo com que se sintam tão ou mais sobrecarregadas que os adultos.

Criança mexendo em um smartphone

Ainda assim, o assunto não é tão simples. Diferentes fatores atuais podem contribuir para que o comportamento infantil esteja realmente sofrendo grande influência da tecnologia para que se afirme que as crianças estão (tanto ou mais) estressadas como os adultos.

Se a pergunta for, a tecnologia estressa: a resposta é praticamente unânime entre os especialistas: sim. Só que isso não significa que é a tecnologia que está tornando o estresse mais presente no comportamento infantil.

Comportamento infantil é afetado por vários fatores

Agendas atribuladas, pouco tempo de convívio com a família, ausência de brincadeiras sadias e atividades físicas descompromissadas e dietas rígidas e outras inúmeras obrigatoriedades tão comuns ao mundo dos adultos hoje fazem parte da rotina de muitas crianças. Essa rigidez e delimitação de como deve ser vivida uma vida ainda tão cheia de incertezas tornam a pressão sobre o comportamento infantil um dos grandes possíveis causadores de estresse.

Imediatismo e ansiedade

Some tudo isso aos imediatismos que as tecnologias trouxeram à vida dos pequenos e vamos ter uma geração acostumada com a prontidão, o imediatismo e também às amarras do mundo adulto. Alguns especialistas já ousam afirmar quais comportamentos relacionados à tecnologia influenciarão uma criança a ter um comportamento infantil comprometido ou que acarretará num comportamento adulto específico.

Criança usando tablet

Outros, no entanto, insistem que a situação é de atenção, e que os pais devem estar cada vez mais próximos para balizar os fatores externos que influenciam a vida da criança.

No caso da tecnologia, assim como ela influencia a vida adulta e também causa estresse, é muito fácil afirmar que este estresse também chega ao mundo infantil. Mas, se é assim, o que resta fazer?

O que fazer?

O primeiro passo é se informar acerca do assunto e, por conseguinte, usar o próprio bom-senso para delimitar o uso da tecnologia na vida dos pequenos. Um exemplo simples: já foi comprovado que as luzes azuis provenientes das telas dos gadgets, como celular, tablets e entre outros, altera nossos ciclos do sono de modo direto.

Dependendo da exposição, pode alterar inclusive hormônios como a melatonina – que ajuda no nosso noturno. Com este dado, os pais devem acabar com o uso dos gadgets durante à noite. É a garantia de que, esta alteração, a criança não sofrerá.

O errado e o certo para toddlers

E, se essas telas, por exemplo, são tão poderosas, o ideal é limitar o uso. Para crianças de até dois anos, elas podem muito bem viver sem tais tecnologias. Depois disso, o ideal é limitar a exposição a essas telas em até duas horas por dia. E, se a criança é bastante ativa (como quase todos são), os pais devem incentivar outras atividades que vão entreter a criança, tanto quanto uma tela: brincadeiras no quintal, jardim, atividades com brinquedos de montar, leitura, música, dança e tantas outras brincadeiras sadias, divertidas e também educativas.

Leia também:

4 dicas infalíveis para entreter seu filho nas férias

Bebê Gripado? Aprenda como usar o Nosefrida Aspirador Nasal

Os benefícios dos brinquedos educativos

Posts Relacionados



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 5 =